23 0

Por  em Blog

ELO_COWORKING_120810_035

Considerado um conceito novo no Brasil, o coworking, ou partilhamento de estrutura de trabalho, tem sido usado cada vez mais por profissionais liberais e pequenas e médias empresas. Em Belo Horizonte, com o objetivo de disseminar o conceito e fortalecer o mercado foi criado o Grupo Coworking Minas Gerais (GCMG) que reúne seis espaços na Capital, além de um em Montes Claros, no Norte do Estado.

Estima-se que as empresas que optam pelo aluguel de escritórios e serviços economizem até 85% dos custos em relação a quem mantém um escritório próprio.  possível com mensalidades entre R$ 150 e R$ 800 contratar pacotes que incluem salas de reunião, internet, atendimento telefônico personalizado, serviços de copa, internet, recepcionista e endereço comercial.

Segundo o representante do GCMG, Francisco Amaral, o objetivo do grupo é difundir o coworking em Minas Gerais. “Além da diminuição dos custos queremos mostrar outras vantagens do sistema. Os espaços compartilhados promovem a oportunidade de convivência e networking naturalmente.  comum as empresas se conhecerem e acabarem parceiras de uma forma muito natural. Os jovens empresários podem aprender com as experiências dos demais”, afirma Amaral.

Perfis - Sem revelar quantos clientes são atendidos pelo grupo, ele indica os profissionais liberais, na faixa de 25 a 40 anos, como a maioria. Escritórios de arquitetura, advocacia, design, agências de publicidade, empresas de tecnologia da informação (TI) e consultorias estão entre eles. Muitos saíram do modelo de home based e não têm interesse ou porte para assumir um escritório próprio. Outra parcela é formada por aqueles que deixaram a informalidade. “Muita gente não tem perfil para trabalhar em casa e outros não se adaptam ao escritório por ser um ambiente ‘vazio’. São perfis de quem gosta de movimento e precisa conviver com mais pessoas”, explica.

O modelo, de acordo com Amaral, não é indicado para empresas onde o nível de privacidade exigido é muito alto, como consultórios médicos.

Fonte:http://www.diariodocomercio.com.br/index.php?conteudoId=142771&hash=5b6c5403aa585dddd8257c732983e7c0&usuarioId=39156

Leave a comment

* required